Psiquiatria e Sociedade

Mente, cérebro e gente

De maçãs e cestos – Tropa de Elite 2 e o Efeito Lúcifer

with 8 comments

[tweetmeme]
Diga qualquer filme nacional que você tenha gostado e eu digo por que Tropa de elite 2 é melhor.
Mas só posso falar depois que você assistir. A única coisa que dá para contar antes é que, após se afastar do BOPE, o capitão Nascimento torna-se Sub-secretário de Segurança do Rio de Janeiro, quando passa a conhecer o motor por trás das engrenagens policiais. Nesse novo cargo ele continua a sua guerra contra os bandidos, mas vê nascer novos inimigos na figura das milícias, enquanto ainda tenta dar conta de sua cada vez mais complicada vida pessoal. Aos esculachos e às torturas o filme acrescenta novas camadas – econômica, social e política – adquirindo uma complexidade muito maior; assim como Nascimento, Tropa 2 amadureceu, enveredou-se pela política e descobriu que o mundo é um lugar muito, muito complicado. O grande vilão a ser combatido, Nascimento descobre, é o “sistema”.

Quem pensa que isso é só um clichê deveria conhecer o famoso Experimento da Prisão de Stanford, sobre o qual já conversamos antes (leia). Voluntários normais, sem desvios de personalidade, tornaram-se verdadeiros carrascos, agindo de forma maldosa e irreconhecível quando colocados como guardas de uma falsa prisão, cuidando de outros voluntários. Os “guardas” sabiam que não se tratavam de bandidos de verdade, mas ainda assim a escalada de violência fez com que o experimento tivesse de ser interrompido.

“O policial não puxa o gatilho sozinho”, diz Nascimento a certa altura do filme. Philip Zimbardo, o pesquisador por trás do experimento, concorda com ele: “Antes de culpar os indivíduos, a coisa certa a fazer é descobrir em que situações eles estavam que poderiam ter provocado esse comportamento maldoso. Porque não assumir que são boas maçãs em um cesto podre, ao invés de maçãs podres em um cesto bom?” ele pergunta sobre os soldados americanos que torturaram prisioneiros em Abu Ghraib. A influência das circunstâncias, do “sistema” enfim, foi chamada por ele de Efeito Lúcifer (título de um de seus livros), tamanho seu poder de levar pessoas boas a praticar maldades.

Tropa de Elite 2 é sábio o suficiente para saber que as maçãs podem sim ser boas ou podres, mas que não adianta encontra-las se não cuidarmos também do cesto. Não é um filme que agradará a tantos como o primeiro, mas é sem dúvida muito mais cinema.

ResearchBlogging.org Shermer M (2007). Bad apples and bad barrels. Lessons in evil from Stanford to Abu Ghraib. Scientific American, 297 (2), 34-6 PMID: 17894169

Written by Daniel M Barros

08/10/2010 às 8:17 PM

8 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Daniel,

    Me senti tentado a ver o filme, mas hesitei, porque me deu uma certa tristeza, por retratar assim (provavelmente com grande quantidade de realidade) minha querida terra natal. Brinco dizendo por aí que ultimamente sou um “carioca não-praticante”.

    Mas, ok, mais uma vez, vc mudou meu ponto de vista. Ou pelo menos o provocou à mudança.

    Será que o carioca não se tornou mal-educado, pobre e feio sozinho? Vou ver o filme e pensar nos meus queridos irmãos.

    Boa noite.

    Andre Bressan

    09/10/2010 at 5:26 AM

    • Andre, o filme se passa no Rio, e tem elementos mais ou menos específicos do Rio, mas em momento algum se insinua que o problema seja exclusivo do Rio.

    • Leo, eu sei, e justamente por isso que fiquei instigado a ver o filme.

      Mas não podemos negar que o filme é um filme carioca, que se passa no Rio, com elementos do Rio.

      Praia não é uma exclusividade do Rio, mas quando se fala em Copacabana, isso faz um sentido universal, e particular para os cariocas (como o cheiro de xixi e cerveja das esquinas, o calor das fumaças dos ônibus, o trânsito infernal e um visual incrível.

      O filme trata sim de um tema universal, mas ele se faz através da realidade carioca. Isso evoca em mim minhas motivações para sair do Rio e isso é sim um pouco doloroso.

      Talvez ainda mais por isso, valha a pena ver.

      Um abraço, obrigado pelo consolo… :)

      Andre Bressan

      11/10/2010 at 12:29 PM

  2. Daniel,

    O Caio Fábio tem um livro chamado Síndrome de Lúcifer… claro que não é um livro científico, mas ele articula sobre como os religiosos muitas vezes mais piedosos podem se converter em pestes corrosivas quando apresentadas ao poder.

    Só uma outra perspectiva…

    Andre Bressan

    09/10/2010 at 1:47 PM

  3. Daniel, estava procurando no google notícias sobre o impacto de Tropa de Elite 2, porque fiquei muito impressionada com o filme, quando achei o seu blog…
    Aproveitei e li vários dos seus posts. Gostei muito, aliás, gostei muito da forma como vc escreve, didática e envolvente. Parabéns!
    Em tempo: saí do cinema chorando… de raiva!

    Andréa

    19/10/2010 at 9:06 AM

    • Obrigado, Andréa. Semanalmente tento pensar na sociedade por meio da psiquiatria, e te convido a compartilhar desses pensamentos.

      Daniel M Barros

      19/10/2010 at 9:57 AM

  4. Gostei da forma como vc descreveu o filme, ainda não assisti, mas fiquei tentada após ler seus comentários.
    Tento ler todos os seus posts, a maneira como vc escreve desperta a curiosidade e o interesse do leitor.
    Parabéns…..

    Beth Rocha Andrade

    25/10/2010 at 9:06 PM


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: