Psiquiatria e Sociedade

Mente, cérebro e gente

Só umas palmadinhas – evidências contra castigos físicos (Sobre a lei das palmadas)

with 6 comments

[tweetmeme]
Quando soube do projeto de lei que ficou conhecido como “Lei da palmada”, minha primeira reação foi negativa: a forma de educar deveria ser privada, responsabilidade dos pais e livre da ingerência do Estado, pensei. Além do mais, não adianta nada fazer um lei em que as pessoas não acreditam – segundo pesquisa do Datafolha, 54% dos brasileiros são contra essa lei.

O que se faz nessas situações? Pesquisa. São nesses temas em que existe um conflito entre direitos individuais e dever do Estado que dão margem a mais confusões, proliferando as opiniões destituídas de embasamento.
E como é comum acontecer em ciência, a pesquisa desbancou minha hipótese, e mudei de opinião: agora sou favorável a lei.

Por quê? Descubra no Portal Estadão.

Anúncios

Written by Daniel M Barros

27/07/2010 às 10:24 AM

6 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. Obrigada Dr. Daniel… tinha lah as minhas duvidas, sobre as¨palmadinhas¨ . Foi bom saber que existem estudos provando que sao prejudiciais. Assim mudo de opiniao tambem.

    Paz

    27/07/2010 at 11:25 AM

  2. Querido Dan,

    Tenho acompanho os seus textos e tem sido muito agradável e divertido.

    Parabéns por esse, em especial. Aconteceu o mesmo comigo. Logo que tomei conhecimento dessa lei, rejeitei-a, porque pensei micro. Mas, sem dúvida, considerando “the big picure”, ela é realmente benéfica, útil e necessária. Claro que mesmo sendo tudo isso, pessoas podem vir a tirar proveito de potenciais brechas, e com isso causar sofrimento para outras pessoas, mas isso é uma outra história…

    Um bjo grande,

    Gi, Alf e Pedro

    Gisele Mercado

    27/07/2010 at 5:22 PM

  3. O modelo parental participativo-democrático é realmente o melhor modelo de internalização moral e desenvolvimento psiquico e físico geral.

    Quem apanhou quando criança e defende a ‘porrada pedagógica’ sofre de Síndrome de Estocolmo. Síndrome de Estocolmo é o fenômeno psicológico em que reféns de coerção física ou psicológica expressam adulação ou tem sentimentos positivos para com seus algozes, que são irracionais ou arracionais à luz da coerção física ou psicológica que sofreram [1].

    Evidência científica de que coerção física ou psicológica, dor ou medo, servem como estresse negativo para o desenvolvimento cognitivo da criança e o aprendizado em geral?

    Altos níveis altos de hormônios do estresse, particularmente os corticosteroides, expõem circuitos de medo e emoções negativas, que previnem (i) os efeitos de normalização de atividade desses hormônios e (ii) seus efeitos facilitadores em extinguir padrões fixos, mal-adaptatados, de aprendizado. Isso dá enfâse à importância dos hormônios do estresse para manutenção de um sistema de aprendizado e memória eficiente [2].

    Altos níveis de cortisol não só são contra-producentes no processo de aprendizado e memorização, mas também estão correlacionados positivamente com baixos níveis de saúde mental, de saúde física e de baixos níveis socioeconômicos. Indivíduos com níveis altos de problemas mentais, físicos e de níveis socioeconômicos menores reportam exposição à níveis maiores de eventos estressantes [3].

    [1] ‘Stockholm syndrome’: psychiatric diagnosis or urban myth? Namnyak M, Tufton N, Szekely R, Toal M, Worboys S, Sampson EL.Department of Psychiatry and Behavioural Sciences, Hampstead Campus, Royal Free and University College Medical School, London, UK. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/18028254
    [2]: Learning under stress: how does it work?
    Joëls M, Pu Z, Wiegert O, Oitzl MS, Krugers HJ. SILS-CNS, University of Amsterdam, The Netherlands. http://njc.rockefeller.edu/PDF_BN08/Topic%204JoelsTiCSfinal.pdf
    [3]: Can poverty get under your skin? basal cortisol levels and cognitive function in children from low and high socioeconomic status. Lupie SJ, King S, Meaney MJ, McEwen BS. Laboratory of Human Psychoneuroendocrine Research, Douglas Hospital/McGill University, Lasalle, Montréal, Canada. http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11523853

    Francisco Boni

    27/07/2010 at 6:29 PM

  4. Belo blog sobre psicologia!

    Frequentarei aqui mais vezes!

    Esse post realmente tem a ver com o que eu procuro sobre psicologia!

    se quiser que eu publique algo de sua autoria, é só falar que eu coloco no meu blog com sua identificação e endereço do blog!

    da uma olhada no http://psicologiaparatodos.16mb.com

    abraços!

    bields84

    12/08/2010 at 5:25 PM

  5. legal, assim eu não vou ter que apanhar mais.
    uhuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu…

    Isabela Cristina Monteiro

    20/08/2010 at 2:34 PM

  6. Daniel,

    Sei que não é o canal, mas postei um artigo em meu blog (http://www.pediatraemcasa.com/2010/10/o-projeto-mentor.html), e gostaria de saber se você tem algo sobre esse tipo de análise… Vc poderia comentar e enriquecer a questão(ou no blog, ou diretamente com meu e-mail)?

    Andre Bressan

    21/10/2010 at 1:01 AM


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: