Psiquiatria e Sociedade

Mente, cérebro e gente

Auto-escola à noite é ignorância científica

with 2 comments

[tweetmeme]
Se ciência faz falta ao mundo de forma geral, imagine o estrago que a ignorância pode fazer entre legisladores. De repente um representante do povo tem uma ideia: “Puxa vida, tantos acidentes ocorrem à noite, e se a gente criasse uma lei obrigando todo mundo a ter aulas noturnas nas auto-escolas, não ia ajudar?” Bom, é uma ideia… mas antes de transformar em lei, encarecer o processo para o cidadão, expor a insegurança e riscos de assaltos etc, não seria bom estudar um pouco?

Surpresa: não existe qualquer evidência de que treinamento de motoristas em auto-escolas ou quetais reduzam os acidentes de motoristas novos. Uma das mais completas revisões da literatura mostra que estudos ao redor do mundo, EUA, Escandinávia, União Europeia, Austrália, Nova Zelândia, comprovam não existir diferença entre ser treinado formalmente ou aprender com o pai ou um amigo. Pior ainda: cursos específicos, como controle de derrapagens, e mesmo treinamentos que aumentem a segurança de motoristas inexperientes, tendem a elevar a chance de acidentes.

A única coisa que se comprovou eficaz foi o maior tempo de direção supervisionada (dirigir sob olhar de um responsável de fato reduz o risco de acidentes): na Suécia, antecipou-se a permissão para iniciar a direção supervisionada de 17 anos e meio para 16 anos. Aqueles que se utilizaram do maior período, obtendo uma média de 118 horas de experiência contra as 44 usuais, tiveram 35% menos acidentes. O que ajuda é ter mais “horas de voo” e adotar comportamentos seguros, o que não se consegue com cursinhos, só com o tempo.

E em nenhum, nenhum lugar do mundo, imaginou-se que 4 horas de aula à noite ajudem na prevenção de acidentes noturnos.

Se a diferença entre opinião e conhecimento fosse mais valorizada por nossos legisladores, se ciência e legislação conversassem um pouco mais, teríamos menos leis que além de serem inúteis aumentam os gastos e complicam a vida.

ResearchBlogging.org Williams, A. (2004). Driver education renaissance? Injury Prevention, 10 (1), 4-7 DOI: 10.1136/ip.2003.004358

Written by Daniel M Barros

13/07/2010 às 12:30 PM

2 Respostas

Subscribe to comments with RSS.

  1. I couldn’t agree more!!! ;-)
    Great post!
    A.

    Andre L Souza

    19/07/2010 at 2:06 PM

  2. Muito bom post! Acho que sua discussão serve mesmo para várias outras leis, entre elas a revisão do Código Floretal Brasileiro, como vc disse:

    “Se ciência faz falta ao mundo de forma geral, imagine o estrago que a ignorância pode fazer entre legisladores.
    (..)
    Se a diferença entre opinião e conhecimento fosse mais valorizada por nossos legisladores, se ciência e legislação conversassem um pouco mais, teríamos menos leis que além de serem inúteis aumentam os gastos e complicam a vida.”

    E só complemento, se ciência e legislação fossem mais próximas, teríamos mais qualidade de vida, todos nós, todos mesmo, todos os seres vivos.

    Parabéns de novo pelo Blog

    Bruno Coutinho

    20/07/2010 at 11:07 PM


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: