Psiquiatria e Sociedade

Mente, cérebro e gente

A pessoa do médico e do paciente

leave a comment »

[tweetmeme]
Acabo de ler o livro Todo paciente tem uma história para contar, da Dra. Lisa Sanders (Editora Jorge Zahar, 2010) e, embora já tenha recomendado livros por aqui, coloco este na categoria de essencial.

Só para contextualizar, Dra. Sanders era repórter cobrindo a área da saúde antes de decidir, já adulta, estudar medicina. Especializou-se em clínica geral, e, com essa formação dupla médica/repórter, iniciou uma coluna na The New York Times Magazine chamada Diagnosis, na qual narrava, com prosa envolvente, alguns casos misteriosos, com históricos confusos que faziam da busca pelo diagnóstico um trabalho de detetive. Adivinhou quem a relacionou com o famigerado Dr. House – seus textos inspiraram o seriado, do qual ela se tornou consultora.

Envolvida com essas histórias de casos complexos, cuja solução desafiava os médicos, Sanders se interessou pelo processo diagnóstico, desde o contato inicial entre médico e paciente – momento revestido de grandes significados e emoções contraditórias – até a última palavra – literalmente – dos patologistas. Nesse caminho, resolveu investigar como se obtem a história clínica de um doente; como se realiza o seu exame (e como ele deveria ser realizado, duas realidades muito distintas); de que maneira os exames complementares, fetiches da medicina moderna tanto para médicos como para pacientes, ajudam e atrapalham o diagnóstico; o paradoxo de, apesar de confiarmos tanto na tecnologia, os médicos termos tanta resistência em usar as novas ferramentas da tecnologia da informação; até chegar ao ponto culminante da relação médico-paciente, quando um diagnóstico tem que ser formulado em termos técnicos na cabeça do médico e transmitido de forma compreensível para o paciente leigo.

A leitura é envolvente e acessível ao público geral sem ceder ao coloquialismo ou recorrer a simplificações que comprometam a precisão das informações; talvez por isso esteja colecionando resenhas positivas por onde passa.

Se é verdade que todo paciente tem uma história para contar, cada médico ouve dezenas delas dia após dia; tristes ou felizes, com certeza várias muitos boas. Que a autora as conte tão bem, só nos ajuda a afinar os nossa capacidade para ouvir quem precisa ser ouvido.

Anúncios

Written by Daniel M Barros

24/05/2010 às 10:43 PM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: