Psiquiatria e Sociedade

Mente, cérebro e gente

Se segura, gordinho!

with one comment


Se nada for feito, você vai engordar. Lamento ser eu a dar a notícia, mas essa é uma das batalhas mais inglórias – e eternas – da humanidade. No livro que deu origem ao filme Inteligência Artificial (Superbrinquedos duram o verão inteiro, de Brian Aldiss), fala-se sobre uma espécie de lombriga domesticada que é inserida no tudo digestivo. Ali instaladas, elas consomem as calorias ingeridas pelas pessoas, permitindo-as comer muito sem engordar.

A culpa é, em grande parte, da inadequação que existe entre nossa natureza caçadora-coletora e a atual disponibilidade de comida. Um estudo muito interessante acaba de provar que nós comemos cada vez mais (I): comparando os quadros que representam a última ceia de Jesus com seus apóstolos, os cientistas mostraram que em dois mil anos de representação, a quantidade de comida nas pinturas aumentou quase 70%. Para eles, como a arte imita a vida, esses achados refletem o progressivo aumento de disponibilidade de alimentos com que temos que lidar.

Como na maior parte da nossa história éramos caçadores-coletores, fomos programados para estocar o máximo possível de energia quando encontrávamos comida, pois não se sabia quando haveria nova refeição. Agora que temos refeições praticamente a qualquer hora o impulso comilão faz com que comamos mais do que o necessário, acumulando energia na forma de gordura.

A boa notícia é que saber disso pode ajudar um bocado. Cientistas mostraram recentemente que as pessoas que superestimam sua capacidade de autocontrole acabam por perdê-lo com mais frequência (II). Quando achamos que somos muito aptos a controlar nossos impulsos nós acabamos por nos expor mais às tentações que queremos evitar; se estamos conscientes de que “a carne é fraca”, contudo, tomamos mais precauções.

É por isso que a melhor maneira de emagrecer é controlar o armário da cozinha. Estando conscientes de que podemos não resistir àquela barra de chocolate escondida entre as compras, o ideal é nem comprá-la. É bem mais fácil do que não comê-la.

ResearchBlogging.org(I)Wansink, B., & Wansink, C. (2010). The largest Last Supper: depictions of food portions and plate size increased over the millennium International Journal of Obesity DOI: 10.1038/ijo.2010.37
(II)Nordgren, L., van Harreveld, F., & van der Pligt, J. (2009). The Restraint Bias: How the Illusion of Self-Restraint Promotes Impulsive Behavior Psychological Science, 20 (12), 1523-1528 DOI: 10.1111/j.1467-9280.2009.02468.x

About these ads

Written by Daniel M Barros

25/03/2010 at 10:45 AM

Publicado em Uncategorized

Tagged with , ,

Uma resposta

Subscribe to comments with RSS.

  1. Excelente post!

    Douglas

    25/03/2010 at 11:23 AM


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 855 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: